Pedalando pelo Central Park

Quando cheguei à cidade de Nova Iorque em 2014, era começo do verão. Um ventinho característico do final da primavera ainda podia ser notado. Mas logo ficou bem quente, a ponto de ter ar condicionado no metrô. Entre o curso que eu estava fazendo na CUNY (Universidade da Cidade de NY) e organizar a casa que eu morava, quase não tinha conhecido a cidade ainda. No início de setembro, uns amigos estavam na cidade e foi quando tive a oportunidade de ser turista de verdade.

nos na bikeNum domingo de manhã, acordamos cedo e traçamos um roteiro para passear pelo Central Park inteiro. Impossível fazer isso num dia só e ver tudo (eu não sabia que era tão grande antes de conhecer). Então decidimos alugar bicicletas e ver tudo que fosse possível em menos tempo. Por 20 dólares a hora, você aluga bicicletas no próprio parque. Depois de passar filtro solar, colocar garrafas de água na mochila e amarrar bem os tênis, começamos o trajeto logo do lado da Quinta Avenida. Bem na frente do hotel enorme de Esqueceram de Mim.

barquinhosA primeira parada pra tirar foto foi um pequeno lago que é usado para navegar barquinhos de controle remoto à vela e você pode alugar um e brincar. Parece coisa de filme. Aliás, o Central Park inteiro dá a impressão que você está dentro de um filme constantemente. Isso porque vários filmes realmente foram gravados lá, e é bem legal notar essas referências. Depois de descermos das bicicletas e tirar algumas fotos, continuamos nosso roteiro.

aliceCom um pequeno mapa do parque sempre em mãos, (do contrário, acreditem, você além de se perder não consegue chegar aonde quer ir. Imagine um parque GIGANTE.) chegamos ao próximo ponto que gostaríamos de ver: a estátua da Alice no País das Maravilhas. Cheia de crianças subindo nela e extremamente quente do sol, paramos rapidamente para fotos. Foi uma das coisas que mais gostei, porque eu sequer sabia que essa estátua existia. Aliás, tem mais algumas referências a Alice em NYC, em algumas estações do metrô, por exemplo.

castelo

Próxima parada: Castelo Belvedere. É um pequeno Castelo que você pode subir e curtir a vista lá de cima. Não é um castelo muito alto, mas é bem legal. Se vocês não sabiam que tinha um castelo lá, se já assistiram Os Smurfs isso pode refrescar a memória. É nesse castelo que o mago vilão Gargamel se esconde e onde se passa toda a cena final do filme. Nesse lugar (e em todo o parque) se podem ver muitas noivas, modelos e aniversariantes de 15 anos fazendo os seus álbuns de fotos.

castelo vista

De volta as nossas bicicletas, o próximo lugar do nosso roteiro é um famosíssimo: nada menos que Strawberry Fields. Próximo à entrada do prédio onde John Lennon morou e morreu, o mosaico com a inscrição “Imagine” foi homenagem de sua viúva Yoko Ono.  Nessa ocasião, cheio de flores e fotos também o homenageando.

imagine

Depois do Castelo, outra vista bem conhecida. A grande fonte “Angels of the Waters”, ou a Bethesda Fountain. Essa é cenário de vários filmes de Hollywood também. O que mais me veio à mente foi Encantada, da Disney. O lugar estava bem cheio naquele dia quente de verão, e a melhor visão dela é de cima das escadas logo à frente. Ali contamos nada menos que cinco noivas com seus respectivos noivos e fotógrafos e, às vezes até as madrinhas e padrinhos.

Por fim, outro cenário de filme. Nesse dá até pra se imaginar numa obra de Woody Allen. The Mall, uma avenida coberta de árvores que rende lindas fotos e é muito boa de caminhar.

avenida

Passamos por mais alguns lugares menos conhecidos e seguimos com nosso passeio, tirando foto e parando para encher nossas garrafas nos bebedouros. Mas logo estávamos cansados demais de tantas subidas e descidas e o dia estava no fim. Então pedalamos novamente até a rua de onde tínhamos saído e devolvemos as bikes. Pegamos o trem e voltamos pra casa exaustos, mas muito felizes, com o celular e câmeras repletos de fotografias e a cabeça cheia de memórias de uma experiência incrível.

 

 

Weena Potter

Mato-grossense, 23 anos, colunista e tradutora oficial do Midiacult e jornalista. Formada em comunicação social pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás, passou uma temporada em NY e já decidiu que sua próxima aventura pelo exterior será na Inglaterra. Leitora incansável e escritora em seu tempo livre. Logo veremos sua primeira obra virar best-seller.

  • Nilvia Olaso

    Em quantas horas você fez o trajeto? E quando parava para andar deixava a bike onde?

  • Weena Pötter

    Oie! Passamos o dia todo no parque, desde cedo até de tardezinha. Quando caminhávamos iamos empurrando as bikes ou deixávamos perto onde podíamos ver. Mas uma coisa boas dos EUA, muito raro alguém tenta pegar algo que não é seu ou roubar, então dava pra fazer isso.. Não tive nenhum problema nesse aspecto! Agradeço o comentário! 😘