Dia do farmacêutico: a importância social desse profissional

Muitas vezes ele o contato mais próximo e acessível para pacientes que precisam de atendimento de baixa complexidade e que encontram nas farmácias um atendimento mais rápido e humano. Seu dia é comemorado nesta quarta-feira (20)

ANDERSON COSTA FARMACEUTICO
Anderson Costa, farmaceutico

Os farmacêuticos são profissionais que identificam e manipulam substâncias químicas para a produção de medicamentos e cosméticos. Cabe a eles assinar como responsável em fórmulas e alguns compostos manipulados. Trabalham também na produção e na conservação industrial de alimentos, estando esta atuação entre as 71 diferentes áreas regulamentadas pelo Conselho Federal de Farmácia (CFF) em que o farmacêutico atua. A entrada dos genéricos no mercado agregou mais notoriedade a este profissional no dia a dia, pois somente ele pode substituir o medicamento de marca (referência), por outro equivalente em farmácias e drogarias, fato que tornou a sua presença obrigatória nesses estabelecimentos.

Mesmo assim, o número de problemas relacionados a medicamentos é crescente. Uma pesquisa da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), órgão do Ministério da Saúde, revelou que, em 2006, quase 33 mil pessoas foram intoxicadas por medicamentos. Entre as causas estão o uso acidental, os erros na administração, efeitos adversos, as interações entre medicamentos e a automedicação. A pesquisa mostrou, ainda, que apenas 25% das pessoas que adquiriram medicamentos foram orientadas sobre o seu uso.

Nas emergências dos hospitais, 40% dos pacientes são atendidos em decorrência do mesmo problema. Dados do Ceatox (Centro de Assistência Toxicológica de São Paulo) revelam que, naquela capital, de dez casos de intoxicações, quatro têm origem no uso de medicamentos. Muitas doenças e internações hospitalares são decorrentes do uso indevido ou ainda da descontinuidade do tratamento medicamentoso, um problema que ainda mais sério quando se trata de antibióticos.

No intuito de amenizar o problema, em 2011 a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) passou a controlar a venda dos antibióticos com a obrigatoriedade da receita, que tem validade de apenas dez dias após a prescrição do médico, e o recolhimento de uma cópia da mesma. A via do cliente deve ser devolvida carimbada, com informações sobre a quantidade de medicamentos e a data da compra. “Muitas pessoas acreditam que os remédios, mesmo que não provoquem o efeito de cura desejado, não fazem mal ao organismo, o que é um engano. Por este motivo temos uma responsabilidade muito grande na orientação correta dos nossos clientes, na indicação quando possível de um genérico ou similar, por entender que tratamos da saúde e da vida das pessoas”, acredita o farmacêutico da Drogaria Santa Marta Renan Costa Alves.

Além da sua função no que tange o atendimento e a orientação do paciente sobre o uso correto dos medicamentos no balcão da drogaria, os farmacêuticos, atuam na verificação da pressão arterial e aferição de taxas de glicose. E sua função social vai além. Muitas vezes, o farmacêutico é o contato mais próximo e de fácil acesso para o aconselhamento de idosos, portadores de doenças como diabetes e hipertensão arterial e outros pacientes, que esperam por algum atendimento médico de baixa complexidade nos postos de saúde do SUS, e encontram na farmácia um atendimento rápido e humano. Este paciente cria, muitas vezes, um vínculo de amizade e confiança com o farmacêutico.

Sabendo desta realidade, a Santa Marta possui uma política de aproveitar talentos e colaboradores que concluem o curso de Farmácia, quando neles são observados a atenção e a dedicação no atendimento, explica o diretor de operações e vendas, Izael Gabriel Miranda. “Além do conhecimento constante sobre o mercado e os novos medicamentos disponíveis, o farmacêutico deve ser comunicativo e ter como qualidades carinho, educação e o cuidado no tratamento ao paciente, que normalmente é uma pessoa que já chega em um estado emocional debilitado”.

É o caso de Eder de Sousa Queiroz, 33 anos, que trabalha há 17 anos na Santa Marta e começou como office boy, passando por outras funções na empresa, entre elas check-list (fiscal de loja) e gerente. Em 2009, ele iniciou o curso de Farmácia e, após se formar, foi promovido a gerente farmacêutico de uma unidade. As dificuldades e o esforço para conciliar trabalho e estudo fazem dele um exemplo para os colegas. “Foi ao longo dos anos que tive despertada a vontade de me tornar farmacêutico, mas não foi fácil. Foram noites mal dormidas e muitos quilômetros rodados, pois a faculdade que cursei ficava a 20 km da minha casa e que eu fazia em uma moto velha. Mas tudo isso valeu a pena!”, avalia o farmacêutico.

 

“O papel do Farmacêutico no mundo é tão nobre quão vital. O Farmacêutico representa o órgão de ligação entre a medicina e a humanidade sofredora”. – Monteiro Lobato. Dia 20 de janeiro – Dia do Farmacêutico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *