Quimiocirurgia com peeling de Fenol pode rejuvenescer a pele em até 20 anos

Procedimento retorna aos holofotes em consultórios médicos, com formulação mais branda e menos riscos de infecção ou outras complicações proporcionando rejuvenescimento facial surpreendente

Um respeitável senhor de quase 70 anos, o peeling de fenol já teve seu auge entre celebridades no século passado antes de perder seu lugar para os lasers. Porém, ele está retornando aos consultórios médicos nos últimos anos e o motivo é simples: não existe nenhum outro procedimento não cirúrgico que proporcione resultados como os dele. “O Fenol é um composto químico usado para atingir as camadas mais profundas da derme. Ele chega até a sexta camada da pele e lá é neutralizado pelos vasos sanguíneos. Daí, até as camadas mais superficiais da pele vão ter um rejuvenescimento muito grande”, afirma o médico e cirurgião oculoplástico, Bernardo Magacho.

Médico e cirurgião oculoplástico, Bernardo Magacho

A diferença do peeling de fenol para outros tratamentos é justamente o alcance mais profundo, onde os outros tratamentos de pele não podem chegar. “Hoje nossas células das camadas mais superficiais da pele já têm memória e, por isso, produzem uma pele com influência de agentes externos, sejam radioativos ou oxidantes, ou seja, já produzimos uma pele envelhecida. E o fenol estimula as células mais profundas a produzirem a nova pele. Essas células estão menos suscetíveis ao contato do meio externo, por isso nasce uma pele mais nova em relação aos outros tratamentos”, afirma o cirurgião.

Não existe idade mínima para a aplicação, mas o tratamento só é indicado para lesões mais profundas como marcas severas de expressão, cicatrizes de acne, entre outros. A cicatriz é uma lesão irreversível e quando a pele não consegue se regenerar mais o que é possível é melhorar o aspecto dela. A contraindicação é para peles morenas ou negras e para quem está usando medicamentos como o Roacutan há menos de seis meses ou com infecção ou feridas no local da aplicação.

O peeling de fenol é uma “quimiocirurgia” que proporciona resultado mais rápido que outros tratamentos. “Quando se faz o procedimento vai ter todo o processo de edema, formação de crosta e o paciente é orientado a só lavar o rosto no terceiro dia. Quando as crostas começam a cair é receitado um cosmético específico do produto e ele vai ver uma pele bem rejuvenescida que nasce muito avermelhada e, aos poucos, vai retomando a coloração normal, mas quando descama já é possível ver a pele bem diferente do que era antes”, finaliza Bernardo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *