‘A Menina Índigo’, filme de Wagner de Assis que estreia em 12 de outubro nos cinemas

LETÍCIA BRAGA INTERPRETA A MENINA DO TÍTULO, FILHA DE MURILO ROSA E FERNANDA MACHADO 
“Essas crianças são especiais. Elas têm potencial para transformar o mundo”, explica o jornalista Geremias (Eriberto Leão) no segundo trailer de “A Menina Índigo”, novo filme de Wagner de Assis que estreia no dia 12 de outubro.  Diretor de ”Nosso Lar”, filme que levou mais de 4 milhões de pessoas aos cinemas em 2010, Wagner mergulhou no universo infantil para investigar que geração é esta que está nascendo. No trailer, Eriberto Leão dá mais algumas pistas de como são as crianças índigo: “Dizem que elas são reconhecidas através da cor de suas auras. São sensíveis e capazes de fazer coisas incríveis, como transformar tristeza em alegria como num passe de mágica”, diz  de forma debochada para o editor da revista em que trabalha, sem se preocupar em expor a filha de seu colega de trabalho, o jornalista Ricardo (Murilo Rosa). Veja aqui o trailer:
O filme conta a história de Sofia (Letícia Braga), uma menina sensível, louca por tintas e que gosta de ajudar as pessoas. Murilo Rosa e Fernanda Machado, que vive a empresária Luciana, são os pais da garota. Separados, eles entram em conflito constantemente, e vão ter que aprender a lidar com o comportamento diferente de Sofia. “Ela faz umas coisas nas pessoas, e algumas destas pessoas ficam boas, curadas.”, diz Luciana. Mas Ricardo, com toda sua racionalidade, não entende o que está acontecendo quando a ex-mulher diz que está tentando proteger a filha. “Proteger do quê?”, indaga.
A produção é da Cinética Filmes, com coprodução da Inspired e a Naymar e produtoras associadas Mar Produções, Erlanger Comunicação & Arte. A distribuição é da Film Connection.
Sinopse
Sofia é uma menina de sete anos que apresenta comportamento considerado fora do padrão, na escola e em sua relação com os adultos. Sua mãe, uma executiva super ocupada, acredita que ela tem algo especial que a faz curar as pessoas. Quando vai morar com o pai, Ricardo, um jornalista competente e racional, começa a provocar mudanças nas relações familiares, obrigando todos ao seu redor a repensarem suas vidas. Sofia é representante de uma nova geração de crianças chamadas de índigos, que, acredita-se, têm potenciais transformadores da sociedade.
Siga A Menina Índigo no Facebook:
Ficha Técnica:
Murilo Rosa – Ricardo
Fernanda Machado – Luciana
Letícia Braga – Sofia
Paulo Figueiredo  – Paulo Gregório
Xuxa Lopes – Antonia
Eriberto Leão  – Geremias
Luiz Antonio Pillar  – Almeida, jornalista
Participação Especial
Renato Prieto
Andrea Veiga
Nizo Neto
Diretor de Fotografia Guy Gonçalves
Direção de Arte e Cenografia Paulo Flaksman
Figurino Maria Diaz
Produção de Elenco Viviane Ávila    Michele Felippe
Técnico de Som Direto Marcel Costa
Direção de Produção e Pós-Produção  Mitzzi Carvalho
Edição Gustavo Sampaio
Edição de Som E Mixagem Rodrigo Coelho
Edição e Mixagem da Trilha Sonora Gustavo Modesto
Produtores Associados: Murilo Rosa, Luis Erlanger e Harold Apter
Produção Executiva Delegada  Richard Ávila
Produção Executiva Pimenta Jr.
Trilha Sonora Original Trevor Gureckis
Roteiro, Direção e Produção Wagner De Assis
A PRODUTORA 
A Cinética Filmes é a produtora responsável por filmes como Nosso Lar e A Cartomante, documentários como Que Geração é essa? e Os Transgressores. Criada em 1997, dedica-se a desenvolver conteúdo audiovisual para as diversas plataformas de exibição.
Wagner de Assis é o criador da Cinética Filmes. Como roteirista, escreveu nos anos 90 filmes na apresentadora Xuxa Meneguel. Em seguida, estreou como diretor e escreveu os longas A Cartomante e Nosso Lar, além de escrever para a televisão a novela Além do Tempo, como colaborador de Elizabeth Jhin e a minissérie Rondon, o Grande Chefe. Produz  e dirige documentários e em breve começa a filmar a continuação de Nosso Lar, Os Mensageiros, e a cinebiografia de Allan Kardec.

Nathan Sampaio

Mato-grossense, 24 anos, criador e editor do Midiacult e jornalista. Formado em Comunicação Social pela Universidade Federal do Mato Grosso decidiu, depois de ser vendedor, projetista, assessor, social media, diagramador e web designer, que também queria um site. E tá aí, o Midiacult pra vocês.