Economia colaborativa também está presente no transporte

Uber cria rede de motoristas que dispõem de seus veículos para transportar passageiros e revoluciona realidade do transporte em vários países, inclusive no Brasil e em Goiânia

A popularização do aplicativo de transporte de passageiros Uber é um claro exemplo de como a economia colaborativa tem se tornado um caminho sem volta rumo a uma nova ordem mundial de consumo. A ideia moderna e ao mesmo tempo simples, de interligar quem precisa ir a algum lugar com alguém que pode compartilhar seu carro, revolucionou o serviço de transporte privado nas grandes cidades, proporcionando mais agilidade e custo mais baixo, do que os tradicionais táxis. A iniciativa estimulou, inclusive, o surgimento de outros aplicativos similares no mercado.

A Uber Tecnologia foi criada oficialmente como empresa em junho de 2010, na cidade de São Francisco, no Estado da Califórnia (EUA). Hoje, o serviço está presente em mais de 480 cidades e em 77 países. Já são mais de dois milhões de motoristas parceiros espalhados pelo mundo, no Brasil, esse número não está atualizado, mas segundo dados da própria Uber, em setembro de 2016, dois anos depois da implantação do serviço no País, já se registrava 50 mil motoristas parceiros. Pelo mundo o serviço já possui mais de 50 milhões de usuários.  No Brasil, o Uber chegou durante a Copa do Mundo de 2014, no Rio de Janeiro e, hoje,  já são mais de 65 cidades brasileiras e 13 milhões de usuários por aqui.

Vantagens para motoristas e usuários

Mesmo diantes forte protestos de taxistas, o Uber acabou impulsionando o surgimento de muitos outros aplicativos de transporte, mas ainda sim 54% dos internautas brasileiros usam o serviço. Um deles é o publicitário Flávio Freitas, de 30 anos, que há um ano decidiu vender o próprio carro e passar a se locomover apenas por meio do transporte compartilhado.

“Fiz as contas e percebi que economizaria a metade de tudo o que gastava com as despesas do meu carro, que não é só combustível, mas também inclui IPVA, troca de pneus, manutenção e estacionamento”, contou.

Em Goiânia, além de uma taxa mínima de R$ 0,75, a tarifa do UberX, categoria mais barata do serviço, tem preço base de R$ 2,50 e cobra R$ 1,20 por quilômetro rodado e R$ 0,17 por minuto de viagem. O valor mínimo de uma viagem no Uber é de R$ 6. O valor da taxa de cancelamento de viagem também é de R$ 6.

Para o empresário Pedro Ernesto, 32, a modalidade do Uber facilitou e barateou a locomoção em veículos particulares. “Na minha opinião o mercado dos taxistas precisa de uma concorrência mesmo, pois é muito caro andar de táxi. Como eu não gosto de dirigir enquanto bebo, houve uma ocasião em que fui para uma festa e paguei R$ 21 indo de Uber, já na volta optei pelo táxi que me cobrou R$ 65, ou seja, mais que o triplo do valor”, conta Pedro.

Já para Gabriel Fiorini, de 21 anos, o Uber foi uma oportunidade de renda há cinco meses. Ele decidiu ingressar na modalidade devido a possibilidade de fazer seus próprios horários e poder aliar com outras atividades. “Além de ser Uber, trabalho como garçom em eventos esporádicos e auxiliar de hotel. Hoje, o Uber é atualmente o responsável pela maior parte do que ganho por mês”, afirma.

Regulamentação

Pressionados pelos taxistas e empresas de rádio-táxi, que antes dominavam esse setor do transporte individual privado, prefeituras em todo o País e mesmo o Congresso nacional estuda a regulamentação desses serviços.

Em abril deste ano a Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei (PL) 5.587/2016. Pelo texto aprovado pelos deputados, que agora tramita no Senado como Projeto de Lei da Câmara (PLC) 28/2017, o licenciamento para o serviço também passaria a ser obrigatório para os motoristas que trabalham com aplicativos de transporte.

“O texto-base era bom, mas emendas que foram colocadas transformam um sistema eficiente, baseado em tecnologia, em um transporte privado que não faz sentido hoje”, avalia porta-voz da Uber, Fabio Sabba. Já do lado dos taxistas, a alegação é que a lei irá levar mais equilíbrio na concorrência entre esses serviços.

(Visited 11 times, 1 visits today)