Um residencial recheado de arte e história

FR Incorporadora conclui obra do Edifício Ária das Artes, cuja arquitetura foi inspirada na trajetória de Sáida Cunha, professora, arquiteta, artista plástica e incentivadora das artes em Goiás

O diretor da FR Incorporadora, João Artur Rassi, entrega neste mês o Edifício Ária das Artes. O prédio residencial de apartamentos com três suítes, no Setor Oeste da Capital, é um marco para a empresa, pois teve toda a sua concepção e execução baseadas na trajetória de Sáida Cunha, arquiteta, artista plástica e incentivadora das diversas manifestações artísticas de Goiás, que residiu na casa que havia antes no local durante 43 anos.

O destaque arquitetônico fica por conta do painel vazado de chapa de aço cortada a laser, que compõe o primeiro e o segundo pavimentos da fachada. A estrutura foi criada pelo arquiteto Ricardo Braudes, quando ele ainda era aluno de Sáida, no segundo período da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO).

“O Ária da Artes é uma obra de arte no sentido arquitetônico e plástico. Tudo em sintonia com a trajetória profissional da Sáida e em harmonia com a proposta da FR de desenvolver projetos pensando na cidade e nas pessoas”, comenta Artur Rassi.

Foi também pensando nas pessoas que a professora de arquitetura e urbanismo aposentada Sáida Cunha participou da concepção do projeto arquitetônico, assinado por Alexandre Leite. Ela propôs uma “arquitetura limpa” e “bonita”. O resultado foi um apartamento que não tem corredor e com boa distribuição dos quartos.

“Eu fui muito bem compreendida no que pedi e na minha parte afetiva pelo Artur, que foi meu aluno no Aplicação (antigo Colégio de Aplicação, hoje Centro de Ensino e Pesquisa Aplicado à Educação, Cepae-UFG)”, conta Sáida.

A professora também frisou o pedido que fez sobre o nome do prédio, que fosse nacional e não estrangeiro. “Gostei muito do nome dado pelo Artur. Ária das Artes abrange todas as artes plásticas, musicais… Significa algo que envolve a beleza de todas as artes”, elogia.

Resgate da memória

A trajetória e o acervo de Sáida Cunha, foi transformado no livro “Ária das Artes, o encantamento de Sáida e seu magnífico acervo de histórias” (Editora Kelps) para perpetuar as contribuições da artista à cultura goiana. A autoria é do jornalista PX Silveira, que resgatou as memórias dos encontros artísticos que aconteciam na residência da artista, o pensamento da época além das imagens de trabalhos memoráveis, como os desenhos de Frei Nazareno Confaloni, telas de Siron Franco, de Amaury Menezes, DJ Oliveira, entre outros que frequentavam o local. A publicação do livro é uma realização da FR Incorporadora. “Este projeto da FR está se preocupando em manter viva não só a minha história como de certa forma a história da cidade. Sempre acreditei que Goiânia tem uma arte própria e a paisagem urbana é um relato importante de tudo isso”, disse a artista à época do lançamento do residencial.

Integração perfeita

O Ária das Artes é composto de 80 unidades, sendo 76 apartamentos e quatro coberturas. Os apartamentos possuem 125,35 m² e 127,50 m². Com o objetivo de atender com satisfação as famílias goianas, a FR Incorporadora resolveu aliar a arte ao espaço que foi melhor aproveitado. Afinal, todas as unidades terão três suítes e integração perfeita de ambientes, como: sala-varanda. E, ainda o dobro do espaço com: cozinha dia-a-dia e cozinha gourmet.

Os moradores contarão com um elevador privativo e mais um elevador de serviço. “Geralmente elevadores privativos são para metragens de 200 m². Mesmo não sendo tão comum, compreendemos que essa é uma tendência, por isso resolvemos adotar o alto padrão também para esses apartamentos de 125 m²”, explicou o arquiteto Alexandre Leite na época do lançamento. Outro destaque do empreendimento é um lobby diferenciado na recepção, feito estrategicamente para ser um espaço próprio para as visitas.