Surge nova vacina para a prevenção contra a herpes zóster

Com crescimento dos casos, pesquisadores médicos e autoridades de saúde parecem empolgados com uma nova vacina para herpes zoster, doença popularmente conhecida como cobreiro

O herpes zóster, doença infecciosa causada pelo vírus varicela-zoster (o mesmo responsável pela catapora), acaba de ganhar uma nova vacina, a Shingrix. Aprovada no mês passado pelo Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) nos Estados Unidos, a vacina ainda não está disponível no Brasil. Segundo o Dr. William Schaffner, especialista em doenças preveníveis da Faculdade de Medicina da Universidade Vanderbilt, onde foi testada, “a vacina tem um índice de proteção inicial espetacular em todas as faixas etárias. O sistema imunológico de uma pessoa de 70 ou 80 anos reage como se ela tivesse apenas 25 ou 30”.

Geralmente adquirido na infância – momento em que a maioria das pessoas manifesta as lesões clássicas da catapora – o vírus varicela-zoster pode ficar dormente no organismo por anos e “acordar” em qualquer fase da vida. Quando desperta, faz surgir dolorosas bolhas em algumas regiões do corpo. De acordo com a médica infectologista e sócia da clínica Vacina Express, Dra. Carolina Abrão, “o vírus fica alojado em gânglios nas regiões do tórax ou do abdômen e um dia, por causa da queda da imunidade ou porque a pessoa está mais velha, ele reativa como herpes-zoster”, explica. Mesmo aqueles que não tiveram catapora na infância podem desenvolver a doença na vida adulta. “Não precisa ter tido a doença, basta contato com o vírus. E a população brasileira é muito exposta a ele – 94% já tiveram contato com o varicela-zóster”, afirma Carolina.

A Shingrix tem esquema em duas doses que devem ser administradas com pelo menos dois meses de intervalo, e a aplicação é dolorosa. Por estes motivos, e pela dificuldade em fazer a população idosa se vacinar, defensores da saúde pública preveem alguns problemas potenciais em adquirir esta vacina. Porém, nos estudos a vacina prometeu ser 30% mais eficiente do que a vacina atual. “O objetivo, quando a vacina estiver disponível, é uma forte campanha de conscientização. Afinal, quem conhece pessoas que já tiveram a doença, sabe como ela é sofrida”, diz Carolina.

Os órgãos reguladores ainda não têm 11 anos de dados sobre a Shingrix, mas em algumas amostragens, ela permaneceu eficaz por seis anos ou mais, segundo a GSK, companhia farmacêutica multinacional britânica. Isso também deve reduzir a incidência de neuralgia pós-herpética, desde que os 42 milhões de pessoas na faixa dos 50 anos comecem a se vacinar.

Idosos

É um dos grupos que mais correm risco de desenvolver a doença que, dependendo do local de acometimento, pode causar ameaça à visão e dores intensas (neuralgia) que podem durar meses ou até anos. Porém, a nova vacina protege tão bem os idosos quanto as pessoas de meia-idade. A Shingrix acumula eficácia de 97 por cento em quem tem mais de 50 anos; em estudo separado com pessoas com mais de 70 anos, ela preveniu 90 por cento dos casos de herpes até de quem tinha bem mais de 80.

Vacina Express marcará presença na ação fornecendo vacinação contra a gripe

Sobre a Vacina Express

A Vacina Express é a primeira clínica de vacinas de Aparecida de Goiânia. Possui acreditação pela Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), e a única da região com equipamentos de última geração como, por exemplo, a câmara de conservação portátil que pode transportar vacinas e possibilita a vacinação extra-muro. Também possui câmaras frias que funcionam por até 72 horas sem energia e possuem um sistema que avisa por telefone caso algum problema de temperatura seja identificado.