Saiba como diferenciar notícias verdadeiras de fake news

Projeto de lei do Senado que quer criminalizar a propagação de notícias falsas ainda é subjetivo, observa especialista

As Fake News não são uma novidade, pois a divulgação de notícias falsas na Internet vem ocorrendo cada vez mais, seja com o intuito de prejudicar a reputação de uma pessoa ou marca, beneficiar alguém ou a si próprio e até mesmo influenciar a opinião pública, como aconteceu na última eleição dos Estados Unidos.

Agora é a vez do Brasil se preocupar com essa questão, afinal, em pleno ano eleitoral, o controle das informações publicadas online é um desafio. Com base nisso, o Projeto de Lei do Senado 473/2017 prevê a criminalização da prática de divulgar notícias falsas na web com pena de até três anos de prisão. Porém, o texto é subjetivo, de acordo com o advogado e presidente do Instituto Goiano de Direito Digital (IGDD), Rafael Maciel.

“O Art. 287-A do projeto defende que há crime quando a pessoa sabe que a notícia divulgada é falsa. Porém, é difícil entender como será feito esse julgamento, pois se alguém publica uma notícia falsa acreditando que ela é verdadeira, como poderá ser punido? Em tese, não faz sentido”, esclarece Maciel.

Para o presidente do IGDD, mais do que uma punição é preciso haver, primeiramente, uma educação digital.

“Leis novas não vão resolver o problema das fake news, pois o que falta é uma conscientização sobre as atitudes online. É preciso entender melhor como essas propagações são feitas e mostrar para a população quais são os danos causados pela disseminação de boatos, a fim de evitar o seu crescimento”, salienta Maciel.

 Como identificar fake news?

Cheque a fonte da notícia!

É preciso evitar sites duvidosos, principalmente os sensacionalistas e sem credibilidade. “Pesquisar pela notícia em sites confiáveis, como grandes portais de notícia é o primeiro passo para saber se aquela informação corresponde a um fato ou uma invenção”, explica o advogado.

Leia a matéria completa!

Segundo Maciel, uma das maiores causas para a propagação de boatos online é a informação incompleta. “Muitas pessoas só prestam atenção no título de uma notícia, tanto em sites quanto nas redes sociais e compartilham aquele conteúdo sem lê-lo completamente para saber do que se trata”, alerta ele.

Verifique a data da publicação e desconfie de erros gramaticais!

Ao abrir uma reportagem é necessário conferir a sua data de publicação e dos fatos divulgados na matéria. Outra observação importante diz respeito aos erros gramaticais. “Sempre veja se a notícia é atual, para evitar compartilhar um conteúdo antigo como se fosse novo. Também note se a publicação é bem escrita, pois erros graves de concordância e gramática podem representar umafake news”, ressalta o presidente do IGDD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *